Calasans Neto

José Júlio Calasans Neto (Salvador, BA. 1932 - 2006).

Pintor, gravador, ilustrador, desenhista, entalhador e cenógrafo.

Começou sua atividade artística como pintor no ateliê de Genaro de Carvalho. Abandonou a pintura pela gravura. Estudou gravura em metal com Mário Cravo, na Escola de Belas Artes da Bahia. Da gravura em metal passou para a Xilogravura, tornando-se assim conhecido em todo país.

Em Salvador fundou, com outros artistas, a Jogralesca (teatralização de poemas), a revista Mapa e a Editora Macunaíma. Especializou-se em gravura em metal e madeira e empenhou-se na relação da gravura com a cultura popular e o cordel. Entre 1956 e 1965, cria cenários para produções como Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha, e Eles Não Usam Black-Tie, de Gianfrancesco Guarnieri. Ilustra romances como Tereza Batista Cansada de Guerra e Tieta do Agreste, de Jorge Amado. Nos anos 80 passa a dedicar-se também à pintura.

Utilizando suas gravuras elaborou vários álbuns, alguns produzidos por ele mesmo e outros por editores brasileiros. Fez capas e ilustrações para inúmeros livros, inclusive para "Teresa Batista Cansada de Guerra" e "Tieta do Agreste", de Jorge Amado, e "História Natural de Pablo Neruda", de Vinícios de Morais.

Exerceu intensa atividade profissional, tendo realizado várias exposições no Brasil e no exterior. Participou da 18o Bienal Internacional de São Paulo, em 1985, e da II Bienal de Havana, em 1986.